Como as celebridades mobilizam pessoas para comprar coisas

novembro 05, 2014 Leo Miyamoto 0 Comments

Ser uma personalidade popular japonesa tem seus prós e contras: Se por um lado existe a fama, por outro lado existe a cobrança sobre as ações da pessoa. Isso não acontece apenas lá, obviamente, mas tem um grande impacto na imagem das pessoas. Quanto mais popular e mais amigável, simpática for a personalidade (e longe das polêmicas) mais ela se torna cotada para ser o rosto de empresa X.

O negócio é que no Japão, existem mais do que fãs: Alguns compram produtos apenas pelo seu artista favorito estar na propaganda. Porém, se o artista estiver com uma imagem desgastada com os fãs, dificilmente este artista será chamado.

Por isso, temos por exemplo, a Namie Amuro, uma das maiores cantoras do JPOP, que faz propaganda pra KOSÉ. Ou marcas como Toyota, que apostando no popular, colocam AKB48. Ou mesmo se formos voltar um pouco a fita, veremos que o Arashi fez comerciais para a Coca-Cola e McDonald's.

Importante ressaltar que o artista tem que ter a ver com a marca: Um produto popular = Um artista popular. Um produto de nicho = Uma artista de nicho. A Kyary Pamyu Pamyu, que antes fora blogueira de moda, faz propaganda para a adidas Originals, uma linha especial (e style) da marca alemã, dedicada ao público jovem; O AKB48 faz propagandas para a HP (Uma das maiores fabricantes de computadores pessoais), Nissin (Líder no segmento de Macarrões Instantâneos) e Toyota (Fabricante do carro mais vendido do mundo - o Toyota Corolla). E a Kana Nishino, já vi em comerciais de ringtones (toques) para celular.

Portanto, já percebemos que a identificação do público-alvo com o produto e o artista é extremamente importante.

Tomohisa Yamashita
, o Yamapi, faz comercial para a divisão de PCs da Toshiba. Hiroshi Tamaki para a NEC. Perceba que as duas empresas disputam O MESMO PÚBLICO, já que ambos foram galãs de doramas (Proposal Daisakusen e Kurosagi x Nodame Cantabile e Love Shuffle).

A TEPCO, uma empresa do ramo de energia no Japão, já colocou Yamada Takayuki como estrela de seus comerciais.

Se o artista sempre está sendo destaque na mídia, ela tende a fazer mais e mais propagandas: Exemplo da Yui Aragaki, que fazia o comercial do Mitsuya Cider, e há pouco tempo atrás, vi ela fazendo uma campanha para a Pantene, linha de Shampoos da Procter and Gamble.

Essa valorização dos artistas é fruto do trabalho das agências de talento, que monitoram a carreira do artista e sempre mantém a imagem de seus contratados lá em cima, para que os fãs não percam o interesse, e lógico, empresas e emissoras de televisão idem.
O mercado japonês é onde a imagem dos produtos e sobretudo dos artistas, é necessariamente importante para o sucesso das vendas. Com uma imagem boa perante os fãs, um bom comercial, e com um conteúdo direcionado ao popular ou a um nicho, as empresas conseguem que seu público se sinta interessado pelo produto e o compra. E bom, independente do motivo que fez a pessoa comprar, pras empresas o mais importante, é que ela comprou a ideia... Literalmente.

Você pode gostar de: