Dez anos, um litro de lágrimas?

0 Comments

(Alerta de Spoiler! Se não viu, leia até o quarto parágrafo, a partir daí é Spoiler e não adianta me xingar depois :v)

Dez anos se passaram desde que Um Litro de Lágrimas foi televisionado no Japão, pela Fuji. Entre as pessoas que gostam de um bom dorama, se tornou clássico. Não poderia ser diferente: No orkut mesmo, pelas minhas vagas memórias, mais de cinco mil pessoas estavam na comunidade dedicada a ela. Um ano anterior, outro clássico, porém não tão conhecido: Sekai no Chuushin. E no mesmo ano, um dorama obrigatório pra quem vai começar a assistir. Hana Yori Dango.

 Voltando ao 1Rittoru, ou Ichi Rittoru no Namida, conhecido como Um Litro de Lágrimas, é inegável também que as pessoas tenham chorado apenas um litro. A história está disponível em livro, do qual foi baseada a história. Onde se tem a Ikeuchi Aya, na história original, ela é Kito Aya. 

No drama, como disse, baseado em fatos reais (Esta frase muda tudo hehe), muito profissionalismo com os personagens da Yakushimaru Hiroko e do Jinnai Takanori, onde ambos interpretaram os pais de Aya. Mas o que dizer da Sawajiri Erika? Não foram um, mas dois, três litros de lágrimas derramadas, quão brilhante foi sua atuação.

Nishikido Ryo deu sua contribuição, além da Narumi Riko, Fujiki Naohito e Matsuyama Kenichi, nomes famosos dos doramas japoneses.

Um elenco de peso que conseguiu fazer um ótimo trabalho. Como não se lembrar do Doutor Mizuno, inconformado com a situação de Aya? Os pais da Aya, quando tentam dar o máximo de apoio, mesmo quando eles se sentem tão tristes, tentam dar um pouco de felicidade à garota?

O famoso coral de despedida... Aí sim...

E bem, é emocionante porque mostra a rotina dos colegas e amigos da Aya e a reação deles em relação a tudo isso (Muitas vezes de compaixão, mas às vezes um certo desconforto.) é uma coisa que nos faz refletir. Se passássemos por isso, qual seria sua reação? Como amigo, colega ou parente? Ou sendo a própria pessoa?

Situações onde o irmão sente uma certa vergonha da Aya? Chocante, não? E a Ako, que o repreende? Que faz questão de se formar na escola que a irmã não conseguiu se formar? 

Chega a ser impressionante como tudo é tão bem retratado. Até o certo incômodo dos pais de precisarem do governo, sim. Ou quando ela (Aya) pergunta se ela poderá se casar?

Um tempo depois, no drama, Aya, que gostava de jogar basquete, não consegue. Comer e andar tornam-se tarefas difíceis. Mas até o último momento, tentou manter uma coisa viva: Justamente hoje o que chamamos de 'Diário da Aya', onde ela persistiu e é até hoje um registro que leva esperança para muitas pessoas.

Dez anos depois, é apenas um litro de lágrimas? O dorama apesar do passar dos anos, é atual e faria pelo menos, uma grande reflexão sobre as coisas na nossa vida. Por mais que tenha visto uma vez, duas ou três, o dorama não perde sua essência e continuará me fazendo chorar dois, três litros de lágrimas, já que o apoio de familiares, amigos e força pra vencer os obstáculos na vida são coisas que eternamente precisaremos ter.

[texto por Leonardo Miyamoto]

Siga @naodeixeojpopmorrer