Bandeira Personalizada e Camisa da Seleção: As histórias dos bastidores do show do ONE OK ROCK

0 Comments


Noite do dia 29: Pessoal mais do que animado com o show. Faltavam cerca de 20 minutos para o começo e ao tirar fotos do público, percebi algo de especial: A bandeira personalizada onde Brasil e Japão se encontraram. O Japão do ONE OK ROCK com o público do Brasil, que já estava com saudades da banda.

Saudades que duraram 3 anos. Porque depois foi puro êxtase. O chão tremeu com We Are e o público se emocionou com Wherever You Are. Mas a música final, tão pedida pelos brasileiros 'Kanzen Kankaku Dreamer' levou o público ao delírio.


Conversei com uma das responsáveis por tudo isso: A Dori, do ONE OK ROCK fans, BR me disse que a bandeira foi fruto de uma votação: A maioria votou pela bandeira Brasil-Japão. Antes de entregar à banda, vários fãs deixaram suas mensagens e assinaturas escritas lá. Disse que o show foi além das expectativas.

Eles já estavam na fila desde quinta e ela foi quem recolheu as assinaturas durante a sexta. Foi ela quem tomou a frente em muitas ideias, além de auxiliar em várias outras.

Já as camisas da seleção brasileira foi algo que iria ser colocado em prática no primeiro show deles, há 3 anos. Mas Dori explica: "Não foi concretizado (em 2014), mas aí este ano um fã comprou as quatro camisas". (10969, em referência a ONE OK ROCK);

Se engana quem acha que para por aí: Teve plaquinhas, varinhas de neon, faixas amarelas em We Are... O negócio foi muito louco!

"Ambitions amarelo e camisa amarela, tudo perfeito."

Uma publicação compartilhada por Tomoya Kanki (@tomo_10969) em

O fã responsável por essa proeza, comentou: "Combinava, Ambitions amarelo e camisa amarela, tudo perfeito."

Panda, apelido pelo qual é conhecido, disse que essa era a "meta da vida". Foi ele também quem fez as artes das bandeiras de 2014 e de 2017, que acabou vencendo a votação e o resultado é esse que vocês veem na matéria: Uma bandeira bacanuda e que foi parar nas mãos do Taka, vocal da banda.

"Vocês tem noção de que conseguimos alcançar eles?"

Uma publicação compartilhada por Tomoya Kanki (@tomo_10969) em

Sem palavras para descrever isso. O show foi épico. O encore sem dúvidas foi prejudicial ao coração: Eles entraram com as camisas, a taquicardia foi inevitável e meu corpo vibrava em conjunto. Meu; Nome; Estava; Naquela; Bandeira!
Minhas pernas estavam amortecidas. O contraste do frio na espinha e o suor dos olhos ao ver o Ryota trocando de baixo após American Girls, é o mesmo que sinto ao acordar hoje, ver as fotos, os videos e perceber que não foi um sonho, foi real: Eles tocaram KANZEN KANKAKU DREAMER.
É provável que quem leia isso não consiga mensurar como eu me senti, estou ciente que falho miseravelmente em descrever essa emoção: Vocês tem noção de que conseguimos alcançar eles?  
Kanzen Kankaku Dreamer respondeu as nossas campanhas, eles tocaram porque nós pedimos, eles mudaram a setlist no Brasil, porque nós, chegamos até eles. ONE OK ROCK no Brasil, calor da fila, Ambitions, camisas amarelas, nossa bandeira, Kanzen Kankaku Dreamer... tudo encaixa perfeitamente. 
É engraçado. Estou escrevendo, rindo e secando os olhos ao mesmo tempo que noto que não tenho palavras para descrever isso tudo e ao mesmo já escrevi um texto aqui. Valeu a todos que nos apoiaram e participaram disso, no mesmo sentimento que acolheu 2014, mais uma vez muito obrigado ONE OK ROCK.
- Panda, ONE OK ROCK fans, Brasil


Uma publicação compartilhada por Não deixe o JPOP Morrer (@naodeixeojpopmorrer) em

Uma publicação compartilhada por Não deixe o JPOP Morrer (@naodeixeojpopmorrer) em

Uma publicação compartilhada por Não deixe o JPOP Morrer (@naodeixeojpopmorrer) em

Uma publicação compartilhada por Não deixe o JPOP Morrer (@naodeixeojpopmorrer) em


Essa é a história de fãs, que se esforçaram nos bastidores para tornar um show que já era bacana, em um show inesquecível e épico. Não é exagero falar, que se o show foi o que foi, uma grande parte foi responsabilidade de uma fanbase comprometida.

Um grande agradecimento à Dori e ao Panda da ONE OK ROCK fans, Brasil, que cederam gentilmente seu tempo para falar dessa experiência, que entra para a história dos shows de música japonesa no Brasil, e um abraço para o Nikolas, que acompanha a page. Muito obrigado pela força!

0 comentários:

Siga @naodeixeojpopmorrer