BABYMETAL: Há cinco anos, ninguém sabia explicar o fenômeno!

julho 06, 2017 JReonarudo 0 Comments

 
Idol? Rock? Quando BABYMETAL surgiu, foi uma proposta completamente diferente daquilo que se tinha no mercado. Era tão novo e diferente que ninguém sabia direito definir. Mas o pessoal adorou a combinação.

A princípio, era algo completamente fora da caixa. Quem imaginaria colocar três vocais oriundas de um grupo idol, o Sakura Gakuin, para cantarem junto de guitarras estridentes só antes ouvidas entre os metaleiros?
 
Em Ijime,Dame,Zettai, vemos o tão famoso Kitsune Sign, que viria a ser uma assinatura do grupo.

Já em Headbanger!, um início de clipe normal, poderia-se dizer que é um clipe normal de idols, até rolar... o Headbanging ou Bate-cabeça, como nós conhecemos.

BABYMETAL faz um misto de fofura, terror e o inusitado. Hora ou outra as integrantes mostram seu lado doce. Ou surpreendem com seu outro lado sombrio. E em certos pontos, se parecem como verdadeiros filmes de horror. Doki Doki Morning traz os rostos das integrantes recortados e girando em loop, o clipe ainda tem uma dança contagiante.

Iine conseguiu misturar o pop das baladas com o metal e não só.
Ainda mandou um rap. Sim, tudo na mesma música e no mesmo clipe. E na sequência um metal. E um pop.

E é em Megitsune que essa mistura de referências fica ainda mais forte. Imagina a música tradicional com metal?

Um detalhe: Na época, Suzuka tinha seus 15, 16 anos. Yui, 14 anos e Moa, 13~14 anos. Adolescentes que pareciam ser muito novas para o desafio que iriam enfrentar. Mas como vemos, conseguiram!

Na época foram músicas bem surpreendentes e de lá pra cá, conseguiram consolidar uma base de fãs, o que fez com que de fenômeno virassem artistas consolidadas. E você,  gosta da BABYMETAL? O que acha delas? Comente! =D

Você pode gostar de:

0 comentários: